O que é Setembro Dourado?

O Setembro Dourado é um movimento nacional para conscientização da população sobre o câncer infantojuvenil. As ações são desenvolvidas de modo a ampliar o debate sobre o assunto e chamar a atenção para a importância do diagnóstico precoce da doença. 


O câncer na criança e no adolescente representa de 1 a 3% de todos os casos diagnosticados e o Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima o surgimento de mais de 12 mil novos casos ao ano na faixa etária de zero a 19 anos. Atualmente, se reconhece que o aparecimento do câncer está vinculado a uma multiplicidade de causas e que em alguns tipos da doença a susceptibilidade genética tem papel importante. Nas crianças e adolescentes, os cânceres mais frequentes são as leucemias, os tumores do sistema nervoso central e os linfomas.


Em 2020, a campanha promovida pelo Grupo Santa Casa BH tem o objetivo de conscientizar as pessoas que o câncer infantojuvenil tem cura, destacando como são os tratamentos, esclarecendo dúvidas e acabando com mitos ainda existentes. Sempre lembrando que os nossos pacientes são feras.  

Sinais e Sintomas

O câncer infantojuvenil, na maioria das vezes, se apresenta com sinais e sintomas inespecíficos e semelhantes aos de outras doenças comuns da infância. Nesse contexto, é fundamental que os pais ou responsáveis levem seus filhos nas consultas regulares com o pediatra, visando o diagnóstico precoce da doença. Para nos ajudar, convidamos alguns dos personagens que fazem parte da campanha do Setembro Dourado do Grupo Santa Casa BH.

O camaleão muda o tempo todo e se adapta às cores da floresta para se proteger!

Se você está notando alguma mudança,

algo estranho em seu filho, mesmo que

não consiga definir com precisão o que é, não demore a levá-lo para uma

avaliação médica.


A onça é muito ágil e uma de suas características mais marcantes é sua pelagem, que varia de amarelo-claro a castanho e destaca-se pela presença

de várias manchas. Por isso, fique

atento às manchas roxas que surgem

no corpo das crianças e adolescentes, principalmente quando não são associadas

a algum tipo de traumatismo.


A cobra é um animal extremamente flexível. Algumas espécies conseguem engolir animais maiores que elas mesmas! 

Nas crianças e adolescentes, o aumento

de volume abdominal associado a palpação de qualquer caroço na barriga da criança é

um sinal de alerta.

O lobo é um animal ágil e habilidoso. Suas patas longas auxiliam nos grandes deslocamentos pelos ambientes abertos e capim alto. Ao observar alterações na marcha, no equilíbrio e na fala de uma criança ou adolescente, além de dor de cabeça persistente e progressiva (que pode estar associada ou não a vômitos), perda de habilidades já desenvolvidas e alterações comportamentais, procure ajuda do pediatra.

O macaco é um animal que costuma ser

bastante ativo durante o dia.

São animais inteligentes, com grande capacidade para a solução de problemas

e, grande parte das espécies, vive em bandos. Crianças e adolescentes

pouco ativos, que apresentam fadiga persistente, febre prolongada,

perda de peso e palidez sem explicações, devem ser levadas ao médico.

Os olhos atentos do tucano nos chama atenção para a Leucocoria, que é o reflexo branco na pupila e o aparecimento repentino do estrabismo. Ambos sintomas devem

ser investigados rapidamente.

A tartaruga é paciente e tem um casco

muito resistente! Por isso, se notar inchaço, aparecimento de algum caroço e dor nas articulações (joelho e ombro), pernas e costas, procure um médico.

Ações 2020

Em setembro, vamos celebrar a garra dos nossos pacientes com uma programação especial e, também, levar informação para sociedade sobre importância do diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil.


Ao longo do mês, o ambulatório de oncopediatria e ambientes de internação de oncologia pediátrica receberão uma decoração especial. E os nossos pacientes participarão de várias atividades, como contação de histórias, exibição de filmes e brincadeiras, além de estruturas montadas para a interação dos pacientes e tirar fotos.


Confira a programação:


1 de setembro

Live pelo Youtube da Santa Casa BH

Tema: Câncer Infantojuvenil

Horário: 19h

Convidados:

Dr. Joaquim Caetano Aguirre Neto - Oncologista Pediátrico da Santa Casa BH

Bianca Prescóvia - Ex-paciente da Oncologia Pediátrica

Aléxia Teles (mãe do Theo) - Paciente da Oncologia Pediátrica

Mediadora: Lorena Lima - Gerente das Unidades de Cuidados Oncológicos do Grupo Santa Casa BH.


11 de setembro

Podcast Dose de Saúde especial do Setembro Dourado

O episódio vai abordar a história da paciente Ana Beatriz Nojosa e o trabalho da equipe multiprofissional no tratamento de crianças e adolescentes com câncer. Nossas crianças têm a força da onça, a valentia do lobo-guará, a resistência da tartaruga e a beleza do tucano. E todo dia mostram que são feras na luta contra o câncer. 


18 de setembro

Mutirão de Retinoblastoma

A Santa Casa BH promoverá, no dia 18/9 (sexta-feira), a partir das 8h30, um mutirão de atendimento para diagnóstico do retinoblastoma. O público-alvo são crianças de 0 a 6 anos de idade. A iniciativa é uma das ações da campanha Setembro Dourado do Grupo Santa Casa BH e marca o “Dia Nacional de Incentivo ao Diagnóstico Precoce do Retinoblastoma”. Ao todo, serão disponibilizadas 40 vagas. Os pais e responsáveis interessados devem enviar pelo WhatsApp (31) 99904-2349 uma mensagem com #retinoblastoma. A ação acontecerá no Ambulatório Oftalmológico do hospital (Av. Francisco Sales, nº 1113 – Santa Efigênia). Se o diagnóstico for confirmado, o paciente iniciará o tratamento com os profissionais da Santa Casa BH.


O que é o retinoblastoma?

De acordo com a oncologista ocular, Dra. Rafaela Caixeta, o retinoblastoma é o câncer intraocular mais comum na infância e a principal causa de remoção do globo ocular. “É um câncer com altos índices de cura, desde que diagnosticado precocemente e adequadamente tratado. Cerca de 80% dos casos da doença são descobertos antes dos 4 anos. A detecção do primeiro sinal é percebida, na maioria dos casos, por um familiar da criança ou pelo pediatra. Diante de qualquer suspeita, é imprescindível encaminhá-las para um serviço de referência como o da Santa Casa BH”.


O sinal mais comum é a leucocoria ou reflexo pupilar branco (olho de gato), seguido do estrabismo. Outras formas de apresentação menos frequentes são inflamação, irritação ocular, glaucoma, massa em órbita e proptose (olhos proeminente). Em casos avançados, podem ocorrer sintomas de comprometimento do sistema nervoso central (cefaleia e vômitos) e da medula óssea (dor óssea).

Divirta-se em casa também!

Jogo da memória

Jogo de desenvolvimento do raciocínio ilustrado com os mascotes da oncologia pediátrica.

Baixe o Jogo da Memória

Desenhos para colorir

Kit com ilustrações dos mascotes da oncologia pediátrica para

colorir.

Baixe os Desenhos

Paper Toy

Bonecos dos mascotes da oncologia pediátrica feitos em papel para que os pacientes montem e se divirtam.

Baixe o Paper Toy

Máscaras

Máscaras dos mascotes da oncologia pediátrica para que os pacientes fiquem ainda mais feras.

Baixe as Máscaras


Multimídia

Podcast


Oncologia no Grupo Santa Casa BH

Reconhecida como a maior prestadora de serviços no segmento oncológico para o SUS em Minas Gerais, a Santa Casa BH é referência na assistência ao paciente que luta contra o câncer e oferece apoio emocional, social e recreação aos pequenos pacientes. De acordo com o DATASUS, o hospital ocupa o primeiro lugar no tratamento oncológico para adultos e crianças no estado.


Em 2019, na Santa Casa BH, foram 861 sessões de quimioterapia, 1.018 de radioterapia, 23 cirurgias, 1.879 tratamentos clínicos e 617 internações de pacientes oncológicos com até 17 anos.


Nos próximos meses, a instituição vai inaugurar o Instituto de Oncologia e, com isso, espera triplicar sua capacidade de atendimento e melhorar ainda mais qualidade dos serviços oferecidos à sociedade. A estrutura vai contar com 33 consultórios, 80 pontos para tratamento oncológico, dois aceleradores lineares, leitos de urgência e salas de observação.


Dúvidas Frequentes

• O que é câncer?

É o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado de células, que invadem tecidos e órgãos.Estas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores, que podem espalhar-se para outras regiões do corpo.

Os diferentes tipos de câncer correspondem aos vários tipos de células do corpo. Quando começam em tecidos epiteliais, como pele ou mucosas, são denominados carcinomas. Se o ponto de partida são os tecidos conjuntivos, como osso, músculo ou cartilagem, são chamados sarcomas.

 

• O que causa câncer?

O câncer pode ser causado por fatores externos (substâncias químicas, radiação e vírus) e internos (hormônios, condições imunológicas e mutações genéticas). Os fatores causais podem agir em conjunto ou em sequência para iniciar ou promover o processo de formação do câncer.

Em geral, muitos anos se passam entre mutações e/ou exposições a fatores de risco e a detecção do câncer.


• Câncer é hereditário?

Em geral o câncer não é hereditário. Existem apenas alguns raros casos que são herdados, tal como o retinoblastoma, um tipo de câncer de olho que ocorre em crianças. No entanto, existem alguns fatores genéticos que tornam determinadas pessoas mais sensíveis à ação dos agentes ambientais que causam o câncer, o que explica por que algumas delas desenvolvem câncer e outras não, quando expostas a uma mesma substância cancerígena. Saiba mais sobre a hereditariedade como fator de risco.

 

• Câncer é contagioso?

Não, o câncer não é contagioso. Mesmo os cânceres causados por vírus não são contagiosos como um resfriado, ou seja, não passam de uma pessoa para a outra por contágio. No entanto, alguns vírus oncogênicos, isto é, capazes de produzir câncer, podem ser transmitidos através do contato sexual, de transfusões de sangue ou de seringas contaminadas utilizadas, por exemplo, para injetar drogas. Como exemplos temos o vírus da hepatite B (câncer de fígado), o vírus HTLV - I / Human T-lymphotropic virus type I (leucemia e linfoma de célula T do adulto) e o Papilomavírus Humano - HPV (colo de útero, ânus e boca). Veja mais aqui.

 

Câncer tem cura?

Atualmente, muitos tipos de câncer são curados, desde que tratados em estágios iniciais, o que reforça a importância do diagnóstico precoce. Por isso, é importante realizar alguns exames para detectar o câncer o mais precocemente possível.

 

• Todo tumor é câncer?

Não, nem todo tumor é câncer. A palavra tumor corresponde ao aumento de volume observado numa parte qualquer do corpo. Quando o tumor se dá por crescimento do número de células, ele é chamado neoplasia - que pode ser benigna ou maligna. Ao contrário do câncer, que é neoplasia maligna, as neoplasias benignas têm seu crescimento de forma organizada, em geral lento, e apresenta limites bem nítidos. Elas tampouco invadem os tecidos vizinhos ou desenvolvem metástases. O lipoma e o mioma são exemplos de tumores benignos.


Quais os tipos de câncer mais comuns em crianças?

Os tumores mais frequentes na infância e na adolescência são as leucemias (que afetam os glóbulos brancos), os que atingem o sistema nervoso central e os linfomas (sistema linfático). 

 

O câncer infantojuvenil é diferente do câncer de adulto?

Sim. O câncer infantojuvenil geralmente afeta células do sistema sanguíneo e os tecidos de sustentação. A maioria são de origem embrionária. 

 

• O paciente infantojuvenil reage melhor ao tratamento?

Tumores na criança e no adolescente são constituídos de células indiferenciadas de crescimento rápido, o que, geralmente, proporciona melhor resposta aos tratamentos atuais.

 

• Criança pode ter câncer no fígado?

Sim. O hepatoblastoma é o mais comum tumor maligno que surge, primariamente, no fígado de crianças. Ocorre predominantemente abaixo dos três anos. Os sintomas mais comuns são: aumento abdominal e dor na região, perda de apetite, emagrecimento, náusea e vômitos, aumento das veias abdominais e puberdade precoce.  

 

• O que é retinoblastoma? 

É um tumor maligno originário das células da retina, que é a parte do olho responsável pela visão, afetando um ou ambos os olhos. Geralmente ocorre antes dos 5 anos de idade. A principal manifestação é um reflexo brilhante no olho doente, parecido com o brilho que apresentam os olhos de um gato quando iluminados à noite. As crianças podem ainda ficar estrábicas (vesgas), ter dor e inchaço nos olhos ou perder a visão.

 

• Quais os tipos de câncer ósseo mais comuns em crianças e adolescentes?

O osteossarcoma é o tumor maligno ósseo mais frequente na infância e adolescência, comumente associado a dor local e inchaço. O local mais comumente afetado é a região do joelho. O sarcoma de Ewing é o segundo tumor ósseo mais frequente na infância e adolescência. Trata-se de um câncer altamente agressivo, e pode também surgir em tecidos de partes moles (músculos, cartilagens).Os sinais e sintomas iniciais incluem massa ou inchaço na área do tumor, dor óssea - que pode piorar à noite e febre sem causa conhecida. 

Gostou desse conteúdo?

Participe das diversas campanhas promovidas pela Santa Casa BH.

Faça a sua doação e nos ajude a promover o bem-estar dos nossos pacientes.

Doe Agora
2020 - Todos os direitos reservados.